quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

As verdadeiras forças que regem o universo. Parte 2

Dirigindo para casa em meio a madrugada, me percebi obcecado pelo Caos. Consequentemente, obcecado pela Energia Potencial Universal (vamos abreviar como EPU para meu poupar digitar tanto). Afinal como eu poderia expressar sua energia através de números? Qual é a relação entre as duas forças?

Como a EPU equilibra o Caos?
Equilíbrio.
Segundo uma das definições do google:  condição de um sistema em que as forças que sobre ele atuam se compensam, anulando-se mutuamente.

Talvez essa anulação não se trata de eliminação das forças dentro de um sistema, mas sim de uma coexistência heterogênea de elementos Imiscíveis. Como agua e óleo. Como as desigualdades sociais, e a liberdade religiosa. Como a conquista de direitos sexuais e reprodutivos. Uns com tanto, outros com tão pouco.


Ainda que eu não consiga explicar a EPU e o caos, entendo que eles estão presentes de alguma forma que superficialmente falando não parece fazer sentido no rico que vive pelo dinheiro e não tem nada; e também no pobre hippie viajante dono do universo. Estão presentes em países com guerra civil, onde impera o caos, e lugares considerados o primeiro mundo.

Diante dessa problemática, ouso a dizer: Negros, brancos, gays, heteros, cis e trans; privilegiados e não privilegiados; não se resumem apenas a sorte. São parte das forças que regem o universo.

Ainda que eu não compreenda tão bem os fenômenos, sinto que o desenvolvimento e a divulgação dessas ideias podem fazer alguma diferença no mundo.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

As verdadeiras forças que regem o universo

Minha reflexão começa com a ideia piegas de que somos donos de ninguém ou de nada. Somos o Caos. Eu gosto muito dos conselhos dados no vídeo do filtro solar. Em um conselho, é dito que os maiores problemas da vida partem de situações inesperadas. Fico imaginando a difícil missão de um vendedor de seguros em relação a isso. Por mais precavido que ele seja, sempre há fatos novos que possam surpreender. Semeamos o caos.
                Caos é uma das forças mais intensas presentes no universo. O caos é responsável por desastres naturais, tragédias pessoais e em todas as merdas que ocorrem em nossa sociedade e em nossas vidas em particular. Somos regidos pelo caos. Chega a dar medo pensar nisso. Mas se meus conhecimentos estão corretos, tudo tende ao equilíbrio. Então existe uma energia no universo que equilibra o caos.
                Segundo um site qualquer na internet, a Energia Potencial é a energia que pode ser armazenada em um sistema físico e tem capacidade de ser transformada em energia cinética. Conforme o corpo perde em energia potencial, ganha em energia cinética. Em outras palavras, conforme aprendi em minhas aulas de cursinho, a energia potencial é uma bela desculpa para explicar o desaparecimento de outras forças.  Existe a energia potencial gravitacional e energia potencial elástica.
                Proponho a criação de uma energia potencial universal, como forma de equilibrar o caos. Ainda não desenvolvi uma equação representativa das duas energias. Esse será um trabalho de meus leitores, obviamente.
Na prática, energia potencial universal está sempre presente quando o universo conspira em nosso favor. Ainda que eu não consiga explicar a natureza exata do fenômeno, está presente na tranquilidade, na fé e na esperança. E na certeza de que a física tem o potencial de explicar todos os fenômenos que regem o universo.

Obrigado pela leitura.

domingo, 10 de abril de 2016

A Praia

Sugestão de Música: Voices (The Beach)- Dario G Feat. Vanessa Quinones

(...)

É claro que não se pode esquecer o que fizemos. Mas nos adaptamos, seguimos em frente.
E quanto a mim?
Eu continuo acreditando no paraíso. Mas pelo menos sei que não é um lugar que possa procurar. Porque não é para onde você vai, é como você se sente por um instante na sua vida quando faz parte de alguma coisa. E se achar esse momento, ele pode durar para sempre.
[Universo paralelo]


Autor: Richard de alguma coisa (mochileiro fictício)


















Foto: Renato Oliveira

                                         

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Cosmopolitaño!



Em minha primeira viagem; não aquela que pretendo fazer sozinho, pude refletir a respeito do termo “Cosmopolita”. Fui conhecer parte do caribe, a partir da Republica Dominicana, as ilhas em sua maioria de colônia francesa e a Venezuela. No papel de burguês branco e bonito, tendo amigos falsos cosmopolitas, chego a duvidar que a maioria deles apreciaria o começo da viagem. Simples entender o porque: Tendo um ciclo social que se gaba muitas vezes da perfeição do inglês ou da cultura francesa, duvido que um país como a Republica Dominicana, com toda sua rica história e cultura seria um atrativo. Parece que os ricos só querem saber dos mais ricos, e de manter sua pose.
Então ser um verdadeiro cidadão global é entender que existe muita beleza, cultura e arte em lugares que não são necessariamente centros do mundo. Ser cosmopolita é não ter vergonha de abusar do portunhol, errar o tempo verbal no inglês, arriscar uma dança com latinos que levitam na pista, acima de tudo, se comunicar e se fazer presente. E pensando nisso, tracei um objetivo para minha viagem. Quero ser um verdadeiro cosmopolita.
Começarei pela Bolívia e Peru.

Obrigado pela leitura!

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Ano novo



Em meio ao alcool e a sorrisos. Poucos amigos. Alguns conhecidos e muitas pessoas. A festa do ano novo não me poupa dos idiotas. Reparo na ausência das luzes. Não vai tirar meu brilho. Chuto o balde e entro na roda. Vou pra onde eu sou querido não só por poucos. Corro. Embora minhas pernas não quisessem fazer parte dessa corrida maluca de três falsos naturalistas. Estava me permitindo. Afinal, quem não quer fazer algo diferente no ano novo?
Que comece 2015!

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

A Viagem

https://www.youtube.com/watch?v=rdiLxyGH8Lg



Recomendo aos leitores.  ;)

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Caderno novo

Talvez essa vontade de continuar não pensando em nada seja modificada a partir do momento em que eu começar a escrever. Logo agora que ganhei um caderno novo.

Mais textos virão.

(: